quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Palavras do meu Dono - II


Os adversários do S&M não deixam de objetar que seus adeptos não se acham entre si de acordo; que nem todos partilham das mesmas crenças, numa palavra, que se contradizem. Ponderam eles: se o ensino vos é dado pelos Mestres, como não se apresentam idênticos?
Ora, se um Mestre chegou a um grau bastante elevado, para se achar livre da sua vaidade e compreende que o seu desenvolvimento não é completo, reconhece-o e o confessa sem pejo. Mas, se ainda não se desmaterializou bastante do mundo “profano”, pode conservar alguns dos preconceitos de que se achava imbuído antes de ser Mestre.
De que serve o ensino dos Mestres BDSM, dirão alguns, se não nos oferece mais certeza do que o ensino de pessoas não iniciadas? Fácil é a resposta. Não aceitamos com igual confiança o ensino de todos os homens. Entre duas doutrinas, preferimos aquela cujo autor nos parece mais esclarecido, mais capaz, mais judicioso, menos acessível às paixões. Do mesmo modo se deve proceder com os Mestres.
Se entre nós há os que não estão acima da média humana, muitos há que a ultrapassam e estes nos podem dar ensinamentos que em vão buscaríamos com os homens mais instruídos.
Há coisas sobre as quais será inútil interrogar os Mestres, ou porque lhes sejam proibido revelá-las, ou porque eles próprios as ignoram e a cujo respeito apenas pode expender suas opiniões pessoais.
Os Mestres BDSM realmente superiores jamais se contradizem e a linguagem de que usam é sempre a mesma, com as mesmas pessoas. A razão vos diz que o bem procede de uma fonte boa e o mau de uma fonte má; por que haveríamos de querer que uma boa árvore desse mau fruto? Já colhestes uvas em macieiras? A diversidade das respostas é a prova mais patente da variedade das fontes BDSM donde elas procedem.
Cumpre, além disso, que se tenha em conta a prudência de que em geral, os Mestres usam na promulgação de suas opiniões sobre BDSM; uma luz muito viva e forte ofusca, não esclarece. Das causas seguintes podem derivar as contradições que se mostram nos escritos S&M; da ignorância de certos Mestres; do embuste dos mestres (com m minúsculo) inferiores que, por malícia ou maldade, dizem o contrário do que disse alhures um verdadeiro Mestre, cujo nome usurpa; da vontade do próprio Mestre, que fala segundo a época, os lugares e as pessoas, e que pode julgar conveniente não dizer tudo a todas suas escravas. Só o estudo, a Submissão, a experiência e a confiança em seu Dono podem ensinar a escrava a distinguir esses diversos matizes do BDSM.
Mestre Kadosch
Outubro/2011 – Olinda-PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário